A DESPEDIDA | A ÚLTIMA CEIA DE UMA FAMÍLIA COMUM

Drama “A Despedida” se apoia em grande elenco para contar uma história onde o amor supera todas as diferenças.

As relações familiares sempre tem suas lacunas e quando expostas ao limite da convivência é difícil não ter atritos.
O longa “A Despedida” (Blackbird) traz Lily (Susan Sarandon) uma mulher que sofre com algumas limitações impostas por uma doença degenerativa, mas que deixa claro o tempo todo que quer ser independente seja pra se vestir sozinha ou para decidir dar um ponto final na sua vida. Uma mulher controladora o suficiente para fazer um natal na data que quiser e decidir reunir ao lado do seu marido, as filhas e seus cônjuges, o neto e a melhor amiga para o seu último final de semana antes de morrer.

O filme parte de como lidar com o iminente luto, tema que infelizmente se tornou cotidiano com o avanço da pandemia do novo coronavírus no mundo, num convívio forçado discutir a relação se torna inevitável e um final de semana que vai fazer com que os personagens retirem todos os esqueletos do armário antes da despedida do título.

A história, já explorada algumas vezes no cinema, é bem conduzida em cenas longas e densas ancoradas por um elenco de peso. Além de Sarandon, vencedora do Oscar em 1996 por “Os últimos Passos de um homem”, o drama conta com Sam Neill, Kate Winslet vencedora da maior premiação do cinema em 2009 por “O Leitor”, Mia Wasikowska e Rainn Wilson.

A direção de Roger Michell, mais conhecido por suas comédias, é muito segura, ele sabe tirar de um elenco experiente o melhor de cada personagem em cenas de carga dramática muito grande como no terceiro ato. Aliás, sua experiência em comédias foi fundamental para construção de uma sequência divertidíssima da última ceia de natal da família.

Outro ponto de destaque no filme é a fotografia que explora com destreza o cenário seja da bela e grande casa da família ou do ambiente externo. Além da escolha de planos médios e planos sequências que interrompem pouco o desenrolar dramático dos atores nas cenas.

Em tempos estranhos que vivemos o longa americano, reforça a mensagem de que mesmo que haja grandes diferenças e discordâncias com alguns gestos, escolhas ou métodos por alguns indivíduos da família, o que fica depois do fim de tudo é o amor.

“A Despedida” chega às plataformas digitais em 31/03/20.