Depois do sucesso de Wandavision, que nos trouxe uma nova perspectiva da Wanda Maximoff, chegou a hora de conhecermos mais afundo os personagens do Falcão e do Soldado Invernal, mas outros também marcarão a nova série do Disney+.

Falcão e o Soldado Invernal era pra ter sido a primeira produção da fase 4 do UCM e acabou sendo substituída por Wandavision por conta da pandemia que atrasou o processo de filmagens. A história se passa seis meses após o retorno da metade da população que havia sido apagada pelo estalo do Thanos e vemos as consequências do blip sendo abordadas de forma mais aprofundada. As cenas de ação (muito boas, por sinal) logo no começo do episódio deixa claro que a série trará o espírito da Marvel que conhecemos lá dos primeiros filmes.



A “morte” do Capitão América (se Steve morreu de fato, não sabemos, mas é assim que sua ausência está sendo tratada) também é um fator importante para a trama. O governo procura por um novo representante, enquanto Sam (Anthony Mackie) segue recusando a vestir o manto do herói e volta a trabalhar com a Força Aérea dos Estados Unidos. Sentindo que o escudo jamais pertencerá a ele, Sam acaba o doando para o museu do Capitão América, mas logo percebe que cometeu um erro.

Bucky (Sebastian Stan) continua a lutar contra seus impulsos de Soldado Invernal e tenta se readaptar à sociedade, apesar da sua falta de experiência com relacionamentos, mas não vimos muito além de sua batalha interna, já que o primeiro episódio foi mais focado em Sam.



É nesse contexto que o Agente Americano é introduzido no UCM, John Walker é escolhido para ser o novo Capitão América, com direito a uniforme e escudo – sim o escudo do Steve que o Sam tinha doado para o acervo.

A ORIGEM DE JOHN WALKER

Apesar de só ter aparecido no Universo Cinematográfico da Marvel agora, John Walker já aparece nos quadrinhos desde os anos 80. Antes de se tornar o Agente Americano, Walker passou por um experimento com radiação que lhe deu superpoderes e, obcecado por se tornar um herói, adotou a identidade de Super-Patriota, um vilão oposto ao Capitão América. Depois disso ele chegou a ocupar o lugar de novo Capitão América nos quadrinhos, assim como na série, mas por pouco tempo até que se tornasse, enfim, o Agente Americano.

John Walker pode ter começado como vilão, mas nem sempre permaneceu como um. O Agente Americano aparece em diversos momentos importantes do Universo Marvel, assumindo diferentes papéis. Nos anos 90 integrou Os Vingadores da Costa Leste e por vezes Os Vingadores originais também, trabalhou como um agente da S.H.I.E.L.D., foi membro dos Invasores e até da Tropa Ômega.

QUAL O PAPEL DO AGENTE AMERICANO NO UCM?

Considerando sua primeira aparição na série, já é possível esperar que sua personalidade espelhe a dos quadrinhos. John Walker é debochado, um tanto convencido e se opõe ao Capitão América em quase tudo. Apesar de ter amenizado seus extremismos políticos quando ficou no lugar do Capitão América, Walker continua sendo mais agressivo, menos “bom-moço” e mais provocativo que Steve Rogers. Basicamente, nos quadrinhos, Walker é a versão pró-governo do Capitão e esse parece ser o caso na série também.



Ainda nos quadrinhos, antes de Walker ser escolhido como novo Capitão América, Sam Wilson chegou a ser considerado para assumir o lugar de Steve Rogers, mas acabou perdendo para John Walker uma vez que o governo considerava que os Estados Unidos não estavam prontos para um Capitão América negro. Essa é uma questão que pode ser explorada na série também.

Quem ficará com a responsabilidade de preencher a lacuna deixada pelo Capitão América parece ser o ponto central de Falcão e o Soldado Invernal, e partindo desse princípio e de toda sua origem, fica claro o porquê do John Walker ser uma ótima opção de antagonista.

Ainda que Walker (Wyatt Russell) possivelmente se apresente como um adversário de Sam Wilson, o fato dele ter “se redimido” nos quadrinhos é relevante e nos faz pensar que talvez ele não se apresente como um grande vilão na trama e sim como apenas um obstáculo no caminho de Sam, uma que o vilão Barão Zemo (Daniel Brühl) já foi confirmado e provavelmente vai dar muito mais trabalho.


Falcão e o Soldado Invernal terá um total de 6 episódios de aproximadamente 40 minutos cada e um novo episódio é lançado no Disney+ toda sexta-feira.