Nem sombrio e nem realista, “Missão: Impossível – Efeito Fallout” é pura ação

[et_pb_section admin_label=”section”][et_pb_row admin_label=”row”][et_pb_column type=”4_4″][et_pb_text admin_label=”Texto” background_layout=”light” text_orientation=”justified” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid”]

Quando um vilão decide reduzir a população mundial porque ele acha que tem gente demais, nem sempre é necessário chamar os heróis mais poderosos da Terra. Ethan Hunt (Tom Cruise) prova mais uma vez que missões impossíveis são sua especialidade.
Efeito Fallout em tradução livre é o efeito colateral, que no filme é representado muitas formas: seja na ameaça ou seja nas consequecias da vida de Hunt como agente da IMF.
A sexta aventura da franquia mostra a segurança dos produtores em saber exatamente o que o público quer ver no filme: cenas de ação inacreditáveis e de tirar o folego; e o protagonista mostrando sua capacidade de dispensar dublês em várias cenas.

No novo longa, Ethan e o seu time da IMF devem impedir que várias bombas nucleares sejam recebidas por uma célula terrorista. Só que o plano dá errado. E a CIA resolver colocar o agente August Walker (Henry Cavil) para supervisionar as ações de Ethan enquanto eles devem correr contra o tempo e com os problemas do passado para conseguir impedir uma catástrofe.

Estreando na franquia, e sem ter um sorriso borrado por algum CGI mal feito, Henry Cavil convence nas boas sequências de ação do filme e mostra que, mesmo interpretando o herói mais famoso do planeta em outro estúdio, ele pode fazer muito mais do que os efeitos especiais acabam fazendo por ele.

[/et_pb_text][et_pb_image admin_label=”Imagem” src=”http://supercinemaup.com/wp-content/uploads/2018/07/mi6_2.jpg” show_in_lightbox=”off” url_new_window=”off” use_overlay=”off” animation=”off” sticky=”off” align=”left” force_fullwidth=”off” always_center_on_mobile=”on” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid” custom_margin=”30px||30px|”]

[/et_pb_image][et_pb_text admin_label=”Texto” background_layout=”light” text_orientation=”justified” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid”]

Como já é tradição na franquia, as cenas que vão fazer o expectador exclamar palavrões para tentar descrever o inimaginável estão lá. E confesso que adoro ver o cinema repetir o mesmo palavrão simultaneamente ao Cruise desafiar as leis da física ou da honestidade.

O diretor Christopher McQuarrie mostra o quanto não só conhece bem Tom Cruise, já que o dirige pela terceira vez, como também a franquia, trazendo todo o aparato de truques de espelho que os fãs já estão acostumados e com o humor em momentos certeiros do filme (especialmente graças ao excelente Simon Pegg e sua sintonia perfeita com Vince Rhames).

Os erros narrativos cometidos por J.J Abrams na sua passagem pela franquia em “Missão: Impossível 3”, foram muito bem absorvidos e resolvidos nesse filme. Às vezes, a tentativa de humanizar demais um personagem como Hunt nem sempre se apoia no interesse amoroso. Um cara acostumado a testar os limites, surfar por trens bala, viajar pendurado em aviões e escalar penhascos sem equipamento algum não pode ter um ponto fraco tão exposto. Mesmo que esse ponto fraco tenha sido usado novamente, a solução foi muito mais aceitável e uma forma até honesta de encerrar a história mal desenvolvida.

O herói que pensava em se aposentar já entendeu a importância do papel dele para o mundo e também para o cinema de ação. Vida longa a missão impossível que, 22 anos após a estreia do primeiro filme, mostra fôlego e qualidade para continuar fazendo muito sucesso nas telas.

Que bom que a era das trilogias se foi e podemos desfrutar de mais episódios onde o impossível é uma missão agradável de se ver.

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Não quer perder nenhuma notícia? Siga o nosso perfil no Twitter!

Nem assistimos "#LegoStarWars: Contos Aterrorizantes", mas já amamos as referências. #StarWars

De acordo com alguns vazamentos, a duração de #HomemAranhaSemVoltaParaCasa é de 2 horas e 37 minutos. #SpiderManNoWayHome

Apresentando... as #DCFanDome Fridays! Para te contar tudo sobre isso, trouxemos ele mesmo: Jim Lee 🙌