Como grande parte dos filmes do gênero de terror/suspense, a trama de O Juízo também se inicia com uma família se mudando para um casarão abandonado, no meio do nada, e cheio de mistérios com a promessa de uma mudança de vida. Esse cenário já dá o tom que será predominante durante todo o filme, um clima tenso, pesado e, sobretudo, escuro.

Já no começo do filme é mostrado assassinato de um ex-escravo e sua filha, na mesma fazendo para a qual a família composta por Augusto (Felipe Camargo), Tereza (Carol Castro) e Marinho (Joaquim Torres Waddington) se muda, herdada da família de Augusto, e é a partir da mudança da família que começam os acontecimentos sobrenaturais.

O roteiro escrito por Fernanda Torres traz ideias interessantes e tenta dar uma cara mais brasileira para um gênero tão pouco explorado no nosso país, mas não consegue se aprofundar nas questões apresentadas. Todo o suspense presente no filme depende do visual e não do enredo, que não traz uma narrativa que, de fato, cause medo. Pelo contrário, os acontecimentos são, de forma geral, previsíveis e clichês, impossibilitando o elemento da surpresa, que deveria ser uma prioridade para o gênero e deixando sempre aquela sensação de “agora vai”, mas nada relevante se concretiza.

O elenco, por outro lado, é mais talentoso do que o próprio roteiro e consegue salvar muitas cenas e diálogos desconexos. Carol Castro convence no papel de Tereza, enquanto Felipe Camargo dá ao perturbado Augusto uma profundidade além da que nos é apresentada pela história. O personagem de Joaquim Torres Waddington tem destaque na história, mas muitas vezes o ator deixa transparecer sua inexperiência em cena, assim como Criolo.

As participações especiais ficam por parte de Lima Duarte e Fernanda Montenegro, que dispensam críticas, mas ambos poderiam ter sido muito melhor aproveitados, caso o roteiro lhes tivesse permitido.

Num período em que a produção áudio visual no país passa por momentos difíceis e em meio a tantos filmes estritamente comerciais, é interessante ver uma tentativa se estabilizar um gênero ainda novo na nossa cultura, ainda que não tenha tido tanto sucesso, mas que possa ao menos abrir portas para novas possibilidades.

Não quer perder nenhuma notícia? Siga o nosso perfil no Twitter!

Nem assistimos "#LegoStarWars: Contos Aterrorizantes", mas já amamos as referências. #StarWars

De acordo com alguns vazamentos, a duração de #HomemAranhaSemVoltaParaCasa é de 2 horas e 37 minutos. #SpiderManNoWayHome

Apresentando... as #DCFanDome Fridays! Para te contar tudo sobre isso, trouxemos ele mesmo: Jim Lee 🙌