“O NINHO” RESGATA TRADIÇÃO DE BONS FILMES DE TERROR DO CINEMA ITALIANO

A jornada de amadurecimento dos filhos é uma etapa difícil para os pais. Como preparar alguém que você viu nascer para os desafios da vida adulta e ao mesmo tempo vê-lo partir para construir sua própria jornada de autonomia?

A síndrome do ninho vazio é algo que tem se mostrado comum no mundo. Pais que não sabem lidar com o possível afastamento dos filhos ao chegar à maturidade e tentam mantê-los presos sob sua “asa”.

Em “O Ninho”, Elena (Francesca Cavallin) é uma mãe dedicada ao filho Samuel (Justin Korovkin). O Jovem é paraplégico e impedido de sair da mansão em formato de castelo totalmente isolada por bosques. Quando ele conhece a jovem Denise (Ginevra Francesconi) ela desperta nele o interesse em descobrir o mundo fora do seu “ninho”. Sua mãe não pretende facilitar as coisas e está disposta a fazer  qualquer coisa para impedir a saída do filho e com isso um conflito será inevitável. Mas, o que o mundo fora dali pode trazer de ameaça para Samuel?

O longa Italiano de Roberto de Feo faz juz à tradição dos Giallos subgênero de Terror Italiano que revelou grandes nomes como Dario Argento e Mario Bava. Com cenário sombrio de um castelo medieval o clima de suspense é inevitável, a fotografia de Emanuele Pasquet também acerta em criar uma envolvente relação de luz e sombra com o clima misterioso dentro do castelo e os dias cinzentos no bosque. A trilha sonora e as músicas que Samuel toca ao piano também vão se envolvendo no clima de medo.

De Feo, que também assina o roteiro, mantém o espectador envolvido na trama o tempo todo sem precisar ficar explicando as entrelinhas da história o tempo todo, como tem se tornado comum no cinema criando um suspense de qualidade e com um final surpreendente. A produção de 2019, acaba ganhando um significado diferente com o isolamento social causado pela pandemia e toda a sensação de medo e pânico que muita gente acabou se submetendo pelo medo de sair de casa. A arte como ferramenta de crítica social e utilizando das metáforas para evidenciar os problemas da sociedade é algo que tem feito falta ao Cinema. Que mais produções revisitem o legado de narrativas construídas por George A. Romero entre outros.

Não quer perder nenhuma notícia? Siga o nosso perfil no Twitter!

Bom dia, Tribo! Começoooooooou! A #CCXPWorlds está ON com a transmissão do terceiro dia da fase de grupos da @IEM Winter 2021 na #GameCCXP. Mas parece que acordamos antes do @Gaules 👀

OBRIGADA, BRASIL! 🇧🇷🕷️ E aí, já garantiu o ingresso mais desejado do momento?

#HomemAranhaSemVoltaParaCasa - em 16 de dezembro somente nos cinemas. Compre já seu ingresso.

SAVE THE DATE 👉 29 de novembro!
Em UMA SEMANA começa a PRÉ-VENDA mais aguardada do ano ❤️🕷️🕸️ #HomemAranhaSemVoltaParaCasa - 16 de dezembro exclusivamente nos cinemas.

Celebração de 20 anos de Harry Potter nos cinemas não contará com J.K. Rowling. Sendo isso uma escolha dela ou não, é uma grande gafe desta produção. Fará muita falta 💔

20 anos depois de dirigir o primeiro filme, Chris Columbus diz que adoraria voltar para dirigir uma adaptação de "Harry Potter e a Criança Amaldiçoada", com o elenco original dos cinemas.