SEM TEMPO PARA MORRER | 007 CUMPRE SUA MISSÃO COM FILME MEMORÁVEL

Após diversos adiamentos por conta da pandemia, o filme “007- Sem Tempo Para Morrer” finalmente chega aos cinemas nesta quinta-feira (30), marcando a despedida do ator Daniel Craig como James Bond.

No longa, depois que Bond deixou o serviço ativo da MI6, vive tranquilamente na Jamaica. Sua paz não dura muito quando seu velho amigo Felix Leiter, da CIA, aparece pedindo ajuda. A missão de resgatar um cientista sequestrado acaba sendo muito mais traiçoeira do que o esperado, levando Bond à trilha de um vilão misterioso chamado Safin (Rami Malek) que tem uma nova tecnologia perigosa.

Dirigido por Cary Joji Fukunaga, primeiro americano a comandar um filme de “007”, entrega um longa de ação e thriller que tem muita qualidade técnica e de narrativa, seguindo elementos tradicionais da franquia, mas também quebrando alguns padrões na história do agente e dos personagens ao seu redor.

Fukunaga acerta no ritmo do filme, que é o mais longo de toda a franquia, com uma abertura bem mais profunda e emocional. Mas claro, durante o longa, não é esquecido as clássicas referências de falas, objetos e as cenas de ação. A coreografia das lutas são um dos grandes destaques, que com planos sequências em conjunto com uma boa montagem, as cenas ficaram dinâmicas e muito fluídas.

Já a parte negativa do filme está no drama exagerado que se cria em alguns momentos sobre o relacionamento de Bond e Madeleine (Léa Seydoux), que se estende durante toda a história. E o vilão Safin feito por Rami Malek, que quase não aparece, onde ainda o vilão anterior Blonfeld (Christoph Waltz) que faz uma rápida aparição consegue aterrorizar mais do que a nova ameaça. Muito dessa questão é por conta do pouco tempo de tela atribuído a Malek, o que causou esse baixo impacto.

Neste filme, as mulheres também recebem mais destaque, principalmente as novas personagens Nomi (Lashana Lynch) e Paloma (Ana de Armas) que pareciam as mais novas bond girls, mas fogem dessa imagem e se sobressaem como mulheres fortes que não precisam de salvação. E esse tipo de discurso menos machista e sexualizado é muito mais evidente no último filme, onde finalmente a franquia começa a modernizar a sua narrativa em relação às mulheres.

A atuação de Daniel Craig está no seu auge, entregando a sua melhor performance como James Bond. No filme, vemos o personagem muito mais maduro, sensível e até engraçado. Craig realmente consolida sua marca na criação de Ian Fleming como o melhor ator a interpretar James Bond, junto com o legado de Sean Cornery, o primeiro 007.

“Sem Tempo Para Morrer” é um filme que traz diversas reviravoltas, emoções e grandes surpresas para o seu desfecho, fugindo de qualquer história já contada sobre o agente secreto mais famoso do mundo. Mesmo o enredo podendo dividir opiniões, com certeza é um filme que cumpre a sua missão e encerra muito bem esse ciclo da franquia.

Não quer perder nenhuma notícia? Siga o nosso perfil no Twitter!

Hayden Christensen estará na série "Ahsoka", do Disney+. Ele pode voltar como Anakin ou Darth Vader em flashbacks ou como um fantasma da força, ou ainda tudo isso. Rosario Dawson interpreta a protagonista que dá o título da série

2

Ryan Gosling está em negociações para viver o Ken no live-action "Barbie". Longa será estrelado pela Margot Robbie e dirigido por Greta Gerwig (de "Lady Bird" e "Adoráveis Mulheres").

2

CEO da WarnerMedia Studios, Ann Sarnoff, sobre #Duna Parte Dois: “Se nós teremos uma sequência? Se você assistiu ao filme, eu acho que você sabe a resposta".

#Duna tem qualidade suficiente para agradar diferentes espectadores, porque é um filme lindo visualmente e super detalhado, bem cara do diretor Denis Villeneuve.

Temos um título! A sequência de "Homem-Aranha no Aranhaverso" recebeu o título "Homem-Aranha através do Aranhaverso", em tradução livre.