O cinema influencia a descoberta da sexualidade das crianças?

Na maioria das vezes, alguns pais se encontram em uma “saia justa” por conta dessa questão, embora não seja algo que deveria causar tantos constrangimentos. Desde o nascimento, a criança explora o prazer, os contatos afetivos e as relações de gênero. Elas tendem a ter comportamentos de descoberta com o corpo – toques, contatos com crianças de outro sexo -, após os oito anos, e, então, entendem que esta atitude é normal. E é completamente natural. Desta forma, o processo apenas evolui e é aí que as orientações sexuais vão se destacando em suas vidas.

Um dos pioneiros a estudar a exploração do prazer corporal foi o neurologista austríaco Sigmund Freud (1856-1939), criador da psicanálise, que chocou a sociedade de sua época ao falar da sexualidade infantil – rompendo com a imagem da criança inocente. Ele mapeou o desenvolvimento nesse campo em diferentes fases, cada uma valorizando o prazer em uma região do corpo.

Billy elliotEm ‘Billy Elliot’, de 1999, o personagem principal sofre com o preconceito por ser menino e bailarino

Assim como os filmes de ação, em que os criminosos utilizam armas de fogo e realizam atitudes ilícitas, os filmes em que crianças ou adolescentes encontram sua sexualidade não são exemplos de que a realidade imita a ficção. Sendo assim, o cinema, além de uma ótima opção de entretenimento, pode servir como uma importante ferramenta na educação de crianças e adolescente, unindo o útil ao agradável: diversão e aprendizado.

O tema já vem sendo explorado nas telonas desde o filme ‘A Lagoa Azul’ de 1980, no qual os primos Emmeline (Brooke Shields) e Richard (Christopher Atkins), juntamente com Paddy Button (Leo McKern), um velho marinheiro, são os únicos sobreviventes de um naufrágio numa época em que navegar era a única forma de viajar. Após ficarem à deriva por várias horas eles vão parar em uma ilha tropical que é um verdadeiro paraíso.

BLULAGON-CTIT-10Os primos Emmeline e Richard se apaixonam ao longo do tempo em ‘A Lagoa Azul’, de 1980

O lugar não oferece perigo, pois não há animais selvagens, mas após algum tempo Paddy morre. Com o tempo, Emmeline e Richard se tornam adolescentes e vivem em uma cabana que eles mesmos construíram. Neste período, novas emoções influenciam o relacionamento deles, os dois descobrem o amor, toda a magia do relacionamento, e logo Emmeline fica grávida. O filme é um exemplo da descoberta da sexualidade e um processo de evolução do indivíduo. Os primos deixam de ser apenas crianças e começam a vivenciar uma relação adulta com o passar do tempo.

‘Azul é a Cor Mais Quente’ também é um bom exemplo. Aliás, qual é a cor mais quente? Adèle (Adèle Exarchopoulos) é uma garota de 15 anos, que descobre na cor azul dos cabelos de Emma (Léa Seydoux) sua primeira paixão por outra mulher. Sem poder revelar a ninguém seus desejos, ela se entrega por completo a este amor secreto, enquanto trava uma guerra com sua família e com a moral vigente.

Azul é a cor mais quenteAdèle sente desejo por outra garota em ‘Azul é a cor mais quente’, de 2013, dirigido por Abdellatif Kechicihe

A passagem da adolescência para a fase adulta é um momento difícil e ainda mais complicado de explicar. No filme dirigido por Abdellatif Kechicihe em 2013, a narrativa é sobre a transição da adolescência, da irresponsabilidade dos atos, das consequências por meio de escolhas mal pensadas, além do amor e da descoberta da sexualidade bem exemplificada pelo relacionamento das protagonistas. Podemos dizer, então, que se trata de uma produção ímpar sobre descoberta da juventude. O amor e o sexo estão ali, é claro, mas como pano de fundo para algo bem mais complexo.

O filme ‘Confissões de Adolescente’, de 2014, também discute o tema de forma descontraída. Baseado na série de televisão Confissões de Adolescente, adaptada do livro de mesmo nome de Maria Mariana e exibida entre 1994 e 1996 pelas TVs Cultura e Bandeirantes, o longa aborda as confusões das jovens irmãs Tina (Sophia Abrahão), Bianca (Isabella Camero), Alice (Malu Rodrigues) e Carina (Clara Tiezzi), atualizadas para o cotidiano dos jovens na atualidade. Com muito humor, ele traz à tona temas como exposição na internet, menstruação e relacionamento amoroso e a primeira experiência sexual.

Confissoes de adolescente‘Confissões de Adolescente’, de 2014, mostra os dilemas de jovens meninas em sua fase de crescimento

O Cinema, por sua vez, tem a missão de apenas mostrar e não induzir comportamentos. É importante destacar que o tema não é tão atual, sendo mostrado por meio dos filmes a questão. A ideia é que alguns filmes abordem importantes questões sobre a sexualidade na adolescência, às vezes, de forma descontraída, às vezes de forma impactante. Cabe ao telespectador decidir o que mais lhe agrada. Vale a reflexão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *