Setembro Amarelo – 8 filmes que falam sobre a depressão

Essa é a última semana do Setembro Amarelo, uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção. De acordo com os números oficiais, são 32 brasileiros mortos por dia, taxa superior às vítimas de AIDS e da maioria dos tipos de câncer*. É um mal silencioso, pois existem muitos tabus que giram em torno da depressão e do suicídio. O movimento Setembro Amarelo é uma inciativa no Brasil do CVV (Centro de Valorização da Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina) e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria). Mundialmente a IASP – Associação Internacional para Prevenção do Suicídio estimula a divulgação da causa.

A depressão faz parte da geração do século XXI e, consequentemente, acaba sendo tema recorrente no cinema. Fizemos uma lista de 8 filmes que falam sobre a depressão, mas não necessariamente são filmes depressivos. O que pretenderemos buscar são filmes que falam sobre a depressão de uma forma quase real e sem tabu. Histórias que fizeram isso da forma mais correta possível.

imagem-01

‘As Horas’ é um filme que acontece em três períodos diferentes e trazem três mulheres ligadas ao livro “Mrs Dalloway”. O filme foca nessas mulheres, que são depressivas e de diferentes eras, durante um único dia. São elas: a escritora Virginia Wolf (Nicole Kidman) em 1923, a dona de casa Laura Brown (Julianne Moore) em 1951 e a nova-iorquina moderna Clarissa Vaughan (Meryl Streep) em 2001. As histórias são interligadas e retratam a depressão de forma clara e de maneira equilibrada.

imagem-02

Um filme que fala sobre a depressão na adolescência é ‘Garota Interrompida’ que conta a história de Susanna Kaysen (Winona Ryder), de 18 anos de idade, que ingere um frasco inteiro de aspirina com vodka. Diagnosticada por um psicanalista como vítima de Transtorno de Personalidade Limítrofe, ela é enviada para um hospital psiquiátrico. No hospital, ela conhece um mundo novo e faz amizades com outras meninas que também tem outros tipos de transtornos. Vários flashbacks acontecem no filme e revelam sua morbidade através de conversas com seu ex-namorado sobre suicídio e a inutilidade da vida.

imagem-03

A trilogia das cores traz o filme ‘A Liberdade é Azul’ que é ambientado em Paris. Julie (Juliette Binoche) deve lidar com a súbita morte de seu marido e filho que morreram em um acidente de carro em que ela foi a única sobrevivente. Enquanto ela estava em recuperação do acidente, ela tenta se matar com uma overdose de remédios, mas não consegue engolir todas as pílulas. É um filme que mexe com memórias e conta também como é conviver com o quadro da depressão e pós tentativa de suicídio.

imagem-04

‘Direito de Amar’ é um filme que traz questões de depressão. A história gira em torno do professor universitário homosexual George Falconer (Colin Firth). O filme passa-se num dia inteiro em que George planeja ser seu último dia de vida. O filme também é baseado em flashbacks do personagem que revelam o porquê de toda sua tristeza.

imagem-05

O fabuloso e gracioso ‘Pequena Miss Sunshine’ é centrado numa família disfuncional. O pai desenvolveu um método de auto-ajuda, o filho mais velho fez voto de silêncio, o cunhado é um professor que tentou cometer suicídio e o avô foi expulso de uma casa de repouso por usar heroína. A filha mais nova é convidada para participar de um concurso de beleza para meninas. Então, eles se unem para atravessar o país numa Kombi amarela enferrujada. O filme retrata muito sobre a depressão e coloca de forma suave como é superar os momentos difíceis das nossas vidas.

Mais focado em medicamentos para a depressão e efeitos colaterais, o filme “Terapia de Risco” traz a história de Emily que recomeçará sua vida de casada com seu marido recentemente liberado da prisão. Pouco tempo depois, Emily dirige o seu carro em linha reta contra uma parede de concreto em alta velocidade. Após essa tentativa de suicídio, Emily passa a frequentar um psiquiatra.

imagem-07

‘As Vantagens de Ser Invisível’ é um filme jovem, bonito e com uma trilha sonora muito bem escolhida. Conta a história de Charlie, um menino desajeitado e tímido. Ele faz novas amizades e descobre o mundo adulto. Mas a dor do passado, que inclui o suicídio recente de seu melhor amigo e o acidente de sua tia adorada, permanece na sua vida. O filme traz todas as vantagens de ter amigos e pessoas que te dão apoio nessas horas difíceis.

imagem-08

Anne Hathaway faz o papel de Kym em ‘O Casamento de Rachel’. Kym está visitando a sua família devido ao casamento de sua irmã, Rachel. Ela carrega consigo conflitos pessoais e familiares que se manifesta aos poucos no local onde está. É um filme mais denso de se ver, mas retrata que ainda existe preconceito com pessoas depressivas e como essas pessoas são incompreendidas.
A depressão é um assunto ainda tabu para as pessoas, mas não deve ser deixada de lado e não deve ser tratada como frescura. Se você conhece alguém com sintomas da depressão, antes de julgar, tente ajudar e respeitar o tempo e espaço da pessoa. É nessas horas que você pode salvar uma vida.

*fonte: setembroamarelo.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não quer perder nenhuma notícia? Siga o nosso perfil no Twitter!

Nem assistimos "#LegoStarWars: Contos Aterrorizantes", mas já amamos as referências. #StarWars

De acordo com alguns vazamentos, a duração de #HomemAranhaSemVoltaParaCasa é de 2 horas e 37 minutos. #SpiderManNoWayHome

Apresentando... as #DCFanDome Fridays! Para te contar tudo sobre isso, trouxemos ele mesmo: Jim Lee 🙌